Você decidiu começar uma mudança em sua vida e vai comprar um imóvel. Pretende morar em um bairro agradável, próximo ao trabalho e em um local que seja valorizado ao longo do tempo. Ótimo! Basta juntar o dinheiro e pagar o valor do apartamento, certo? Infelizmente não é bem assim. Para comprar imóvel, além de desembolsar o valor de face, é preciso pagar algumas outras taxas.

Comprar imóvel sem planejar o custo dessas taxas é arriscado e pode deixar você numa situação financeira delicada. O recomendado é que você reserve de 5% a 8% do valor do imóvel para quitá-las. Neste guia, você vai descobrir quais são essas taxas e a importância de estar preparado para elas. Continue a leitura!

Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI)

O valor do ITBI, cobrado pelas prefeituras, varia em cada município do Brasil. Em Porto Alegre, é de 3% sobre o valor do imóvel atribuído pela Fazenda Municipal, conforme apurado pelo agente fiscal da prefeitura. Esse imposto deve ser pago antes da transmissão em cartório. Ele pode ser parcelado em até 12 vezes, com mensalidades mínimas de R$ 100,00, mas ainda assim todas as parcelas devem ser pagas antes da lavratura da escritura.

Os pagamentos podem ser realizados na maior parte dos bancos ou ainda em casas lotéricas (no caso de guias de até R$ 1.000,00). A guia pode ser pedida em qualquer tabelionato se a compra for por escritura pública; por meio do agente financeiro, se for por instrumento particular (contrato de financiamento); ou na loja de atendimento da Secretaria Municipal da Fazenda.

Escritura

A escritura é o registro do contrato de compra e venda. Ela é paga apenas nos casos de imóveis comprados á vista. Para quem parcela, o contrato de financiamento já serve como escritura. 

Esse documento é importante para proteger seu investimento dos “contratos de gaveta”. Na hora de comprar imóvel, é a escritura que especifica as características do bem (localização, dimensões etc.) e, portanto, protege sua aquisição de eventuais problemas.

Emolumentos / Registro do imóvel

Os emolumentos são valores que remuneram os cartórios pelo serviço de registro do imóvel quitado. Esse serviço é indispensável, já que comprova por lei quem é o proprietário. No caso específico de Porto Alegre, existe uma tabela com alíquotas distribuídas em faixas de acordo com o valor do imóvel. Por exemplo, para imóveis entre R$ 303.778,91 e R$ 379.723,80 o valor é de R$ 1.292,40. Esses valores podem ser reajustados por lei estadual.

Se você estiver comprando um imóvel residencial pela primeira vez, com o valor de até R$ 500 mil, e a compra for feita pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH) tem direito a 50% de desconto na taxa de registro do imóvel.

Outras taxas da mudança

O planejamento para comprar um imóvel envolve ainda o pagamento de outros gastos. Bancos podem cobrar uma taxa de vistoria para avaliar a conservação e segurança do prédio.

Além disso, se você for se mudar com seus móveis, deve levar em conta o custo da transportadora. Se estiver financiando o imóvel, analise bem o contrato para planejar o pagamento das parcelas no futuro. Finalmente, pode ser útil levar em conta gastos como a primeira faxina do local e a instalação de serviços, como internet e TV a cabo.

Comprar um imóvel à vista é a melhor forma de pagar mais barato, mas exige algum planejamento para evitar problemas financeiros. Fazer algumas contas na ponta do lápis e reservar uma quantia em dinheiro um pouco acima do valor da propriedade pode garantir mais segurança e tranquilidade no processo.

Agora que você já sabe mais sobre as principais taxas envolvidas ao comprar imóvel, entre em contato com a AMX para tirar dúvidas e conversar sobre as melhores opções de moradia em Porto Alegre!

Autor

Escreva um comentário

Share This