Adquirir um imóvel, para a maioria das pessoas, é o maior investimento da vida. Por isso, a operação precisar ser detalhadamente planejada para reduzir o risco de problemas futuros.

Mais até do que a própria escolha do imóvel, decidir como ele vai ser pago pode ser mais importante. É por essa razão que preparamos este post para lhe apresentar quais são as formas de pagamento na compra de um imóvel. Conheça as opções e decida qual é a mais adequada para você! 

Pagamento à vista

A forma mais difícil de fazer o pagamento do imóvel é também a mais indicada pela maioria dos especialistas em finanças. Isso porque o pagamento à vista é o mais barato de todos, já que não envolve o pagamento de juros.

É claro que pagar um imóvel em uma única vez é um privilégio para poucos. Se você não conta com um volume suficiente de recursos, terá que ter muita disciplina para conseguir economizar o suficiente. E isso pode levar algum tempo.

Em contrapartida, adquirindo um imóvel à vista você melhora muito a sua capacidade de negociação. Isso pode lhe garantir um bom desconto ou alguma melhoria na unidade.

Uma dica: se for comprar seu imóvel à vista, cuidado para não se descapitalizar e raspar suas economias. Não se esqueça de manter uma reserva para emergências. E antes da compra, é interessante verificar se não é mais vantajoso aplicar o dinheiro em algum outro investimento.

Financiamento bancário

O financiamento nada mais é do que um empréstimo por meio do qual você receberá de um banco o valor necessário para comprar o imóvel. O pagamento à instituição ocorre durante um período determinado de tempo, com juros.

Uma das opções de financiamento disponível no Brasil é o Sistema Financeiro da Habitação (SFH), desenvolvido pelo Governo Federal, que utiliza recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE).

Pelo SFH, é possível financiar imóveis de até R$ 750 mil, dependendo do Estado. O limite do financiamento é de 70% para imóveis usados e 90% para os novos. A taxa de juros é de, no máximo, 12%, e as parcelas não podem exceder 30% da renda do comprador. O limite do contrato é de 35 anos.

Outra opção é o Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). Ele é semelhante ao SFH, porém não tem limite de valor para imóvel, nem de comprometimento de renda com as parcelas. A taxa de juros, porém, é mais elevada, pois esta é uma operação mais arriscada para o banco.

Para famílias com renda entre R$1,6 mil R$5 mil há, ainda, a opção do Minha Casa Minha Vida. Com juros mais baixos, esta modalidade permite financiar imóveis de até R$ 235 mil, dependendo da cidade.

Consórcio

Quem não precisa tomar posse do imóvel de forma imediata pode optar pelo consórcio. Entre suas vantagens está o fato de que permite financiar até 100% do imóvel. E é uma operação sem cobrança de juros, embora seja preciso pagar por taxas de administração.

Para receber seu imóvel, porém, você terá que contar com a sorte nos sorteios mensais, ou juntar algum dinheiro para retirar o imóvel por meio de um lance. Do contrário, pode demorar um pouco para você receber as chaves da sua casa ou apartamento.

Financiamento direto com a construtora

As construtoras que oferecem financiamento próprio aos seus clientes, em geral, têm mais flexibilidade para negociar melhores condições. Uma das diferenças em relação ao financiamento bancário é que, com as construtoras, os prazos costumam ser menores.

Essa modalidade é mais comum no caso de empreendimentos novos, loteamentos ou unidades comerciais. Ao optar pelo financiamento com a construtora, fique atento à forma de correção e nos juros propostos.

Antes da entrega das chaves, o reajuste é feito pelo Índice Nacional da Construção Civil (INCC), que mede os custos do setor. Depois, é comum a utilização do IGPM ou do IPCA. Tenha atenção e realize simulações de como ficarão as parcelas futuramente, para evitar surpresas.

Essas são as principais formas de pagamento na compra de um imóvel disponíveis no mercado. Gostaria de saber as últimas novidades de compra e venda de imóveis? Então, assine nossa newsletter para mais conteúdos!

Autor

Escreva um comentário

Share This