Category

Compra

Category

O que define os diferentes padrões de imóvel?

Basta dar uma caminhada pelo bairro para perceber a grande variedade de tipos de apartamentos, não é verdade? No mundo imobiliário, as propriedades são divididas de acordo com as suas características e conhecer os padrões de imóvel pode facilitar a sua buscar por um lar.

Mas, você já parou para pensar como eles são definidos? Acredite, não é apenas o preço que diferencia um imóvel de alto padrão dos demais. Ficou curioso? Então continue lendo o texto e conheça as principais diferenças entre cada tipo!

Quais são os padrões de imóvel?

Um passo importante para encontrar um ambiente confortável, que atenda às suas necessidades e ao seu estilo, é buscar pelo padrão de imóvel certo. Eles são divididos em:

Imóveis regulares

São imóveis geralmente localizados em regiões mais afastadas do centro da cidade. Também são caracterizados por terem acabamentos simples, espaços reduzidos e plantas pouco flexíveis. Podem ou não ter áreas de lazer.

Imóveis de alto padrão

São propriedades pensadas para clientes muito exigentes e de alto poder aquisitivo, a começar pelo terreno e pela localização dos imóveis, que são especialmente escolhidos para que os apartamentos recebam a luz solar o ano todo.

Além disso, os imóveis de alto padrão geralmente ficam próximos a áreas turísticas e pontos nobres da cidade. O acabamento é de extremo bom gosto e feito com os melhores materiais do mercado. Quando são apartamentos, é comum que os edifícios tenham área de spa, academia, piscinas e, em alguns casos, serviços de massagens.

Quais são os tipos de imóveis de alto padrão?

Dentre os imóveis de alto padrão, existem vários tipos de plantas possíveis e com nomenclaturas diferentes.

Loft

São apartamentos amplos e sem divisórias. O pé-direito, ou seja, a medida do piso até o teto, é de, no mínimo, 3,20 m. Também possuem grandes janelas e mezaninos.

Townhouse

É ideal para quem quer morar em apartamento sem abrir mão de algumas características das casas térreas. Parece-se com um sobrado de três ou quatro andares. Esse tipo de imóvel ainda não foi muito difundido no Brasil, mas vem crescendo gradativamente.

Giardino ou garden

É outro modelo muito procurado por quem gosta de algumas peculiaridades da casa convencional. São apartamentos localizados no térreo dos edifícios e, normalmente, possuem quintal ou jardim.

Cobertura

As famosas coberturas ficam no último andar dos prédios. Apenas isso já é um grande diferencial, afinal, a posição proporciona uma vista privilegiada aos moradores. E para melhorar, elas, na maioria das vezes, vêm acompanhadas de piscinas e churrasqueiras.

Como escolher o imóvel ideal para você?

Com tantas opções disponíveis, é normal se sentir indeciso sobre qual é o melhor imóvel para você. Para fazer uma boa escolha, é necessário pesquisar sobre o assunto e identificar o que o imóvel precisa ter para atender às suas expectativas.

Não se esqueça de pensar e tomar as decisões junto com a sua família ou com as pessoas que vão morar com você, na medida em que todos merecem se sentir bem no novo lar.

Então, gostou de aprender sobre os padrões de imóvel? Tem alguma dúvida? Entre em contato com a AMX Property e receba a orientação de uma equipe especialista no assunto.

4 tipos de investimento que oferecem retorno garantido

Está pensando em ter o seu próprio imóvel e sair do aluguel? Esse é o desejo da grande maioria das pessoas, porém requer emprenho e a estruturação de um planejamento financeiro. Além de cortar gastos, também é importante fazer com que o seu dinheiro renda mais.

Há diversos tipos de investimento que podem ajudar a chegar ao objetivo pretendido. No mercado financeiro, há opções para todos os perfis de investidores, desde as aplicações mais conservadoras até as mais arrojadas. O que é preciso entender é que, quanto maior o risco, maior pode ser o ganho.

Entretanto, se a sua intenção é abrir mão de grandes rentabilidades para ter segurança e um retorno garantido, está no lugar certo. Separamos os quatro investimentos mais seguros para que você possa começar a aumentar o seu patrimônio e chegar ao sonho da casa própria. Confira!

Conheça 4 tipos de investimento com retorno garantido

1. Poupança

Essa é a modalidade mais utilizada pelos brasileiros. As suas vantagens são a simplicidade de adesão, a isenção de impostos e a segurança.

Contudo, possui baixa rentabilidade, em torno de 0,5% + Taxa Referencial (TR) ao mês, que pode ser conferida no site do Banco Central

2. CDB

Os Certificados de Depósito Bancário são uma espécie de empréstimo feito aos bancos para captação de recursos. Os juros sobre os valores aplicados são pagos no fim do período estipulado.

A rentabilidade varia de acordo com o volume investido e com a modalidade: 

  • prefixado, em que a taxa de remuneração já é definida no momento da contratação; 
  • pós-fixado, que pode sofrer alteração de acordo com o indexador contratado e que só será conhecida no momento do resgate.

Para ajudar na escolha, é recomendado observar a taxa Selic.

O maior risco é o de a instituição financeira em que o valor foi investido quebrar. É imprescindível verificar a solidez da organização antes de fazer a aplicação e, de preferência, manter o valor dentro da cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

3. Tesouro Selic

São títulos de dívida pública negociados pelo Tesouro Direto. Um dos maiores benefícios é o fato de serem considerados mais seguros que a poupança, pois o risco de crédito — a possibilidade de o emissor não honrar o pagamento — é menor por serem ligados ao governo federal, além de ser possível iniciar a aplicação com valores baixíssimos, a partir de R$ 30.

Esse investimento também tem as modalidades prefixada e pós-fixada. Outras vantagens são que, mesmo com risco menor, a sua rentabilidade é maior que a da poupança, estando ligada à taxa Selic, e à possibilidade de retirar o valor aplicado antes do prazo determinado sem perdas significativas.

4. Letras de crédito

As LCAs (Letras de Crédito do Agronegócio) e as LCIs (Letras de Crédito Imobiliário) são títulos de renda fixa emitidos pelos bancos que, geralmente, têm a sua rentabilidade ligada ao CDI.

A sua vantagem é que possui isenção de imposto de renda para pessoas físicas. As desvantagens são o valor e o tempo mínimos de aplicação, que costumam ser mais elevados que nos demais tipos de investimento.

Entenda os imóveis como investimento

Agora, que você já conhece os tipos de investimento mais seguros para começar a fazer o seu dinheiro se multiplicar, não se esqueça de que o imóvel também é um investimento. Ele pode oferecer segurança em relação à oscilação de valores, além de boa rentabilidade pela valorização e por ser uma fonte de renda, caso queira alugá-lo.

Gostou deste artigo? Quer se manter informado sobre planejamentos financeiros e imóveis? Então, cadastre-se em nossa newsletter e receba artigos como este diretamente em seu e-mail.

Confira 9 dicas infalíveis para negociar um imóvel

Negociar um imóvel pode ser uma arte, em que tanto a pessoa que deseja comprar quanto quem o está vendendo usam certas artimanhas atrativas para fazer a melhor negociação para si.

Se você quer comprar um imóvel que atenda a todas as suas necessidades e o seu padrão de vida, e pretende encontrar uma forma de fazer uma excelente negociação, confira 9 dicas infalíveis para conseguir uma ótima redução no preço. Acompanhe!

1. Pagar à vista 

Essa é a primeira e mais óbvia dica, já que, em geral, é assim com tudo o que se quer comprar. Por isso, se você tiver o dinheiro para pagar à vista por um apartamento no bairro incrível que deseja morar, faça disso uma oportunidade para ter bons — muitas vezes ótimos — descontos.

2. Pesquisar o preço justo

Fazer essa descoberta é muito importante. Pesquise o valor do metro quadrado no bairro. Depois, trace um comparativo com imóveis muito semelhantes (em vários aspectos). Se perceber que o valor do imóvel que está negociando é maior do que o praticado no mercado, use isso a seu favor, tentando conseguir que o vendedor reduza o preço ou que as condições de pagamento sejam melhores.

3. Realizar vistorias

É fundamental que o comprador seja minucioso ao observar os detalhes do imóvel. Assim, alguns defeitos podem ser encontrados, o que pode significar uma redução no preço final. Além disso, lembre-se de falar sobre tudo o que precisa ser melhorado, pois se não conseguir diminuir o preço, o proprietário poderá realizar melhorias, como um acabamento de melhor qualidade, por exemplo.

4. Converse com os vizinhos

É importante conversar com os demais moradores do empreendimento ou com outros clientes da construtora para saber como é o atendimento pós-venda (em caso de compra de uma construtora) e se os imóveis realmente apresentam a qualidade que é oferecida nos anúncios. 

5. Disfarçar a ansiedade

Já ouviu dizer que a pressa tem o seu preço? Sim, pois, se você estiver com pressa em comprar seu imóvel e deixar transparecer essa ansiedade para quem o está vendendo, correrá o risco de não conseguir barganhar no preço. 

Mas também tenha cuidado, pois com o mercado em aquecimento, muitas vezes a demora em definir a compra pode levar a perda da unidade desejada, visto que ela pode ser vendida a qualquer momento.

6. Conhecer a região

É verdade que toda região tem qualidades e defeitos, mas não é por isso que se deve comprar um imóvel sem conhecer o lugar. Um defeito que é pequeno para alguns pode ser bem grande para outros, e o mesmo vale para as qualidades. Assim, tente conhecer as redondezas do imóvel em que pretende investir — e lembre-se de visitá-lo durante o dia e à noite.

7. Fazer comparações

Quem está vendendo um imóvel costuma fazer um comparativo mostrando que o dele está mais barato do que outros semelhantes. Desconfie dessas comparações e vá conhecer tais imóveis “aparentemente” inferiores.

Tente usar esse truque a seu favor, descobrindo se há outros imóveis à venda no condomínio e seus valores. Se os preços estiverem abaixo do que você está comprando, exponha isso ao vendedor.

8. Evitar contrariar o vendedor

Quando alguém é contrariado, a tendência é ignorar o que quem o contrariou está falando. E é impossível negociar com quem não o escuta.

Portando, diante do proprietário ou corretor, fuja das discussões e evite dar opiniões polêmicas. Às vezes, dar um sorriso ou acenar assertivamente com a cabeça já basta. Depois, simplesmente mude de assunto.

9. Descobrir se o imóvel está encalhado

Uma excelente maneira de reduzir, consideravelmente, o preço de um imóvel é descobrir há quanto tempo ele está à venda. Se faltam interessados, há grande chance de o proprietário aceitar vendê-lo por um preço mais baixo.

Como descobrir o preço? Converse com o síndico, com o zelador do prédio e com vizinhos, e tente analisar quando o anúncio foi feito pela primeira vez.

Agora que você está mais seguro para negociar um imóvel e conseguir um bom desconto, assine nossa newsletter e não perca as novidades!

Descubra os benefícios de comprar um imóvel como investimento

Um dos investimentos mais populares no Brasil é o mercado imobiliário. Isso porque comprar imóveis traz diversas vantagens para quem não quer perder dinheiro ou ver seu patrimônio se desvalorizar.

Entretanto, é fundamental ter planejamento para poupar muito, pesquisar e fechar o melhor negócio. No final, o resultado valerá a pena, pois são vários os benefícios de ter uma casa ou apartamento próprios como uma forma de ganhar dinheiro.

Ficou interessado? No post de hoje, mostraremos alguns pontos positivos de se comprar imóvel para investir. Confira!

Segurança

O investimento em um imóvel é um dos mais seguros que existe quando falamos em oscilação de preços e lucros.

Primeiramente, imóveis são bens duráveis. É algo que dificilmente desvaloriza, como acontece com um carro, por exemplo. Além disso, eles não têm o alto risco de outras formas de investimento, como o mercado de ações.

É por isso que comprar imóvel é uma atitude de investidores pequenos e grandes. Repare que mais ricos possuem parte do patrimônio em imóveis, justamente para não ficarem sujeitos às variações da economia. Com isso, resguardam parte da fortuna que acumularam ao longo dos anos.

Valorização

Outra vantagem dos imóveis é a valorização com o passar do tempo. Voltando ao exemplo do carro: é um bem que será vendido por um preço mais baixo do que quando foi comprado. Ou seja, ele desvaloriza. Ações da bolsa também podem passar pelo mesmo processo.

Com um imóvel, ocorre o contrário: ele se valoriza ao longo dos anos, seja por estar bem localizado, seja porque você fez melhorias nele que agregaram valor, ou ainda porque a economia está aquecida.

Não se esqueça de considerar também gastos como impostos e reformas, mas isso faz parte da manutenção de algo próprio que valerá mais a cada dia.

Proteção da inflação

A inflação é uma das grandes vilãs para quem deseja investir. Ela corrói valores que estão na poupança e em investimentos de baixa rentabilidade, sem contar a diminuição do poder de compra, a imprevisibilidade, etc.

Um imóvel está protegido disso, já que o índice que regula valores de compras, transações e aluguéis é o INCC (Índice Nacional da Construção Civil). Ele oscila muito menos do que a inflação geral, deixando tudo mais estável.

Fonte de renda

Falando em aluguel, esta é uma das possibilidades mais atrativas e populares entre quem compra um imóvel.

Alugar sua casa ou apartamento significa ter uma fonte de renda que exige pouquíssimo esforço e que será mantida enquanto durar o contrato de aluguel. Ao mesmo tempo, o imóvel continua em processo de valorização.

Se desejar, você pode vendê-lo mais à frente, garantindo que ganhará um valor mais alto do que aquele que foi pago no momento da compra

Diversificação de investimentos

Uma das regras de ouro para investir bem é diversificar. Quem obtém sucesso nesse meio nunca concentra toda a sua renda em um único tipo de investimento, e existe um motivo para isso.

Os investimentos têm características diferentes, como risco, lucro, possibilidade de resgate, custo de manutenção, etc. Por isso, ter várias opções para investir é uma medida que traz segurança e potencializa os rendimentos de maneira geral.

Pelos motivos que apresentamos aqui, comprar um imóvel é um bom tipo de investimento para quem quer começar a investir, pois traz ganhos e, principalmente, segurança.

Quer saber mais sobre o que o mercado imobiliário tem para você? Entre em contato conosco e tire suas dúvidas!

Planejamento familiar: como poupar para comprar a casa dos sonhos?

O planejamento familiar é o primeiro passo que você deve dar para que o seu sonho torne-se realidade. Afinal, proporcionar conforto e qualidade de vida para a família é uma de suas principais prioridades, não é mesmo?

Devido a isso, qualquer decisão de compra deve ser muito bem analisada para que o seu orçamento não venha ser comprometido, nem mesmo a segurança financeira do seu lar.

Adquirir uma casa é uma decisão que exige muita cautela no momento da escolha e negociação. Além disso, também é preciso criar métodos para reduzir custos, possibilitando a compra da casa dos seus sonhos. Quer saber como isso é possível? Confira aqui!

Inicie um planejamento familiar

Toda a família precisa participar da decisão da compra da nova casa. Isso é importante para que todos estejam conscientes de que precisam ajudar a economizar e de qual será o objetivo final.

No planejamento familiar, você poderá identificar quanto será poupado mensalmente, quais cortes serão realizados, se o imóvel será comprado na planta ou pronto, quais serão as formas de pagamento etc.

Com essa organização, todos os membros de sua família se sentirão motivados, pois eles estarão conscientes do importante papel que cada um tem dentro desse planejamento.

Controle seus gastos

Talvez essa seja a etapa mais difícil dentro do planejamento familiar. Isso porque todos estão acostumados com um estilo de vida, e eliminar os gastos que hoje são considerados necessários não será uma tarefa fácil, mas também não é impossível.

Liste todas as despesas da família — nesse momento, até a compra de uma bala precisa ser listada. Com isso, você terá uma visão real de todos os gastos e, assim, poderá verificar quais podem ser eliminados, ou ao menos diminuídos.

Com o tempo, você e sua família serão educados financeiramente e, com isso, aprenderão a valorizar mais o dinheiro e terão uma nova postura em relação ao consumo.

Estabeleça prioridades

Ter vários planos e não conseguir executar nenhum traz grandes frustrações. É isso que acontece quando você não estabelece prioridades.

Para que seja possível realizar os seus sonhos, é indispensável que prioridades sejam definidas para que você possa criar estratégias para alcançar seus objetivos.

Ao fazer isso, você terá mais foco e, consequentemente, não se sentirá sobrecarregado devido aos objetivos que não conseguiu alcançar.

Limite o uso do cartão de crédito

O cartão de crédito é uma ferramenta excelente, mas somente para quem sabe utilizá-lo. Se você não se enquadra nesse perfil, é preciso repensar seus hábitos e limitar o uso do cartão.

Devido à facilidade proporcionada, se torna muito fácil gastar além do necessário com o cartão, ou pior: gastar mais do que você pode pagar.

Por esse motivo, é de suma importância que você utilize seu cartão somente quando necessário. Dê preferência para compras à vista (sempre que houver descontos) e não use o cartão em restaurantes, bares ou qualquer outro estabelecimento de difícil controle de gastos.

Um bom planejamento familiar vai ajudar você a acumular um excelente patrimônio sem comprometer a segurança financeira do seu lar. Ele proporcionará à sua família mais conforto e qualidade de vida, livrando-os dos “apertos” financeiros, fazendo com que todos possam ser reeducados financeiramente e, com isso, possam estabelecer novos sonhos e realizá-los.

Gostou das nossas dicas? Também tem o desejo de comprar a casa dos sonhos? Então entre em contato conosco e confira as opções que temos para você!

Vai comprar um imóvel? Saiba como analisar sua planta

Na hora de comprar um imóvel, tudo começa com a análise da planta baixa. Esse desenho traz muito mais informações do que olhos leigos, à primeira vista, podem perceber. Por isso, para desvendá-las é preciso enxergar além da distribuição dos cômodos e de suas respectivas metragens.

Na prática, é como se você estivesse olhando de cima para o seu futuro lar. Graças à planta baixa, é possível conhecer as características mais importantes do imóvel antes mesmo de visitá-lo. Afinal, financeiramente, vale a pena comprar um imóvel na planta, mas isso não significa adquiri-lo às escuras!

Pensando nisso, neste post veremos exatamente como se deve analisar uma planta antes de realizar a compra. Interessado? Continue lendo e confira!

O que é e como analisar a planta baixa de um empreendimento

A planta, basicamente, é um desenho feito em AutoCAD por engenheiros ou arquitetos, a partir de um corte horizontal a 1,5 m de altura do chão. Nele, cada metro corresponde a uma unidade de medida estabelecida na escala.

Ali constam as disposições dos acessos, áreas permeáveis, ambientes internos e diferentes níveis e pavimentos, mostrando como se dá a integração entre os espaços. Caso haja um único piso, há uma planta baixa para toda a área. Se houver mais de um pavimento, há mais plantas baixas.

O desenho contém também as medidas (largura, comprimento e espessura) de paredes — algumas delas com função estrutural —, portas e janelas (a partir das quais é possível prever as condições de insolação e ventilação no imóvel). Como complemento, existem as plantas hidráulicas, com indicações de encanamentos, e elétricas, com tubulações, fiações, tomadas, entre outros elementos.

Por fim, na planta baixa ainda aparecem localizações para pias, louças sanitárias e tanques, bem como eletrodomésticos grandes e até sugestões de posicionamento para os principais armários.

Como comprar um imóvel apenas olhando a planta baixa

Existem dois critérios determinantes para a qualidade de vida e o bem-estar em qualquer lar: a insolação e a ventilação.

A primeira considera que, se o sol nasce no Leste e se põe no Oeste, a face Norte recebe insolação máxima. Então, se você preferir um posicionamento mais equilibrado, opte por um imóvel com face Leste, a qual recebe mais sol durante o Inverno e menos no Verão.

Quanto ao outro fator importante, a ventilação, analise se há uma abertura para entrada do ar e outra para saída, o que garante que ele circule pelos ambientes. Na planta baixa, repare se há janelas voltadas para mais de uma fachada.

Ainda é importante observar a ventilação nos banheiros, pois, devido à umidade gerada pelo chuveiro, é adequado que os mesmos tenham ventilação natural para melhor circulação de ar. Também recomendamos que as cozinhas tenham ventilação natural, pois isso permite uma melhor circulação de ar e facilita a depuração das gorduras.

Assim, com boa insolação e uma ventilação cruzada, o uso de aparelhos como o ar-condicionado é reduzido, o que colabora para a economia nas contas de água e luz. Ao mesmo tempo, previne-se o aparecimento de irritações e alergias respiratórias.

4 pontos para avaliar antes de comprar um imóvel na planta

Além de todos os fatores que já citamos, existem outros detalhes e cuidados que precisam ser levados em consideração antes de se efetuar a compra de um imóvel na planta. Confira:

1. Disposição dos móveis

Caso você não queira comprar novos móveis ao se mudar, quando estiver estudando a planta do imóvel certifique-se de que os cômodos comportam todos os seus objetos de forma confortável.

2. Conheça outros empreendimentos da construtora

O imóvel ainda não está pronto, mas a construtora já tem outros empreendimentos na cidade, certo? Visitar esses locais e, se possível, conversar com os moradores e síndicos é uma boa maneira de conhecer o trabalho da empresa.

3. Leia o contrato com muita atenção

Analise atentamente todas as cláusulas do contrato de compra e venda. Observe o valor das taxas, os prazos e compromissos que deverão ser cumpridos por ambas as partes. De preferência, faça isso com a ajuda de um profissional especializado.

4. Verifique se o seu orçamento

Uma das vantagens de comprar um imóvel na planta é o seu preço mais acessível, mesmo assim, é preciso ter certeza de que as parcelas não vão comprometer o orçamento familiar.

Vale lembrar que o valor das prestações pagas à construtora durante a construção não sofrem com a incidência de juros, mas são corrigidas de acordo com o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção).

As vantagens de comprar um imóvel na planta

Adquirir um imóvel na planta tem mesmo inúmeras vantagens — não é por acaso que eles estão sendo escolhidos por cada vez mais compradores nos últimos anos. Instalações modernas, preço acessível e documentação simplificada são alguns dos pontos positivos desse tipo de aquisição, mas ainda há outros. Vejamos:

Flexibilidade no pagamento

Ao comprar um imóvel na planta, fica muito mais fácil negociar as condições de pagamento. Muitas vezes, é permitido pagar a entrada em parcelas mensais até a entrega das chaves, por exemplo.

Valorização do imóvel

Um imóvel comprado na planta tem um valor mais acessível do que um imóvel pronto para morar. Sendo assim, a aquisição de imóveis em construção é um excelente investimento. Ao final das obras, principalmente se o bairro escolhido tiver uma boa infraestrutura, o valor do imóvel vai aumentar.

Possibilidade de adaptação

Como o imóvel ainda não foi construído, é possível solicitar pequenas alterações para que o local atenda melhor às necessidades dos moradores.

Obviamente, as sugestões precisam estar dentro das opções da construtora. Mesmo assim, essa é uma vantagem importante, já que faz com que o proprietário evite reformas no futuro.

O que observar na primeira visita feita pessoalmente ao imóvel

Observe a vista das janelas e avalie se o projeto atende aos desejos e necessidades da família. Pergunte se a planta permite fazer mudanças caso seja necessário adaptá-la futuramente. Também é válido pesquisar os dados sobre a segurança da região e analisar a infraestrutura do bairro, comércio, opções de lazer, hospitais.

Ainda, não se esqueça de verificar o trânsito da região e como se dão os acessos em dias e horários diferentes. Afinal, observar a distância entre o imóvel e os lugares em que os moradores precisam ir diariamente é fundamental para a qualidade de vida.

Por fim, caso tenha comprado na planta, lembre-se de observar se a estrutura está adequada ao que foi combinado no contrato. Com todos esses cuidados, suas chances de acertar na escolha na escolha do lar, mesmo que na planta, são grandes!

Como vimos, é sempre importante se informar muito bem antes de comprar um imóvel e escolher uma construtora de confiança. E esse é o caso da AMX Property Incorporadora e Construtura, uma empresa que trabalha com excelência para realizar sonhos. Então, precisa de ajuda para encontrar o seu lar em Porto Alegre? Entre em contato conosco!

Para saber mais sobre o mercado imobiliário, assine nossa newsletter!

Entenda qual a importância do acabamento de qualidade em uma obra

A casa própria é algo com que muitas pessoas sonham. Os motivos são muitos: sair do aluguel, aumentar o patrimônio, dar mais segurança à família, investir em algo seguro. Só que, ao chegar no estágio final da construção, uma enorme dúvida que surge é sobre o acabamento da obra. Afinal, como fazer para que ele esteja à altura das suas expectativas e do seu orçamento?

Então, para ajudá-lo na tarefa de identificação dos aspectos fundamentais de um acabamento, separamos abaixo algumas dicas essenciais. Confira!

Acabamento da obra: fechando com chave de ouro

A fase de acabamento da obra é aquela na qual serão incluídos os elementos que estarão à vista e que ajudarão a definir a qualidade final do projeto. Isso significa que, entre esses itens, estarão pisos, forros, louças, metais, esquadrias etc.

Assim, a escolha detalhada de cada um deles fará toda a diferença no resultado final. Uma madeira escura demais no piso, por exemplo, pode transformar a decoração de um ambiente em um grande pesadelo.

Além disso, imóveis com acabamento de qualidade são mais valorizados no mercado e proporcionam mais qualidade de vida para as pessoas que moram nele. Portanto, é muito importante que você fique atento a todos os pormenores.

Planejamento como fator de sucesso

O acabamento da obra costuma exigir muita paciência por parte dos proprietários. É normal ficar ansioso para terminar a construção, porém é preciso cuidado para não apressar o processo e comprometer a qualidade do produto final — no caso, o seu lar.

Nesse sentido, uma ótima forma de controlar os nervos é por meio do planejamento. Dedique um tempo para fazer um plano completo, incluindo etapas e checklists. Ele vai ajudá-lo a perceber o progresso já feito, a identificar o que ainda falta e a entender como cada parte se integra ao todo.

Além disso, planejar ajuda no controle do orçamento. Após tanto tempo dedicado às finanças para a compra do imóvel, nada mais justo do que ter ferramentas para controlar em que cada centavo será aplicado.

Pesquisa para eleger os melhores materiais

Mais da metade do valor de uma construção costuma ser aplicado no acabamento da obra. Assim, se tiver que elaborar uma lista de prioridade para alocar o orçamento, comece pelos pisos.

Com o passar do tempo, eles são os itens que costumam sofrer os maiores desgastes. Portanto, precisam ser de ótima qualidade e adequados ao espaço. Nos banheiros, por exemplo, eles precisam ser antiderrapantes para evitar acidentes.

Dê atenção especial, também, à durabilidade. De nada adianta poupar na compra, adquirindo materiais mais baratos, e ter que, pouco tempo depois, fazer uma troca ou reposição. Casa é feita para dar prazer e não dor de cabeça.

Cuidado na escolha do estilo

Tudo bem querer que sua casa seja estilosa, mas é preciso sempre levar em consideração que há modas que são passageiras. O mercado da construção está em constante evolução. Assim como no da moda, nele também surgem diferentes e inusitadas opções para fazer o acabamento.

No entanto, na hora de decidir, não se renda ao que você vê em fotos ou vídeos: leve em consideração o seu estilo; a qualidade e a facilidade de compô-lo com diferentes elementos. Faça a personalização com detalhes e com objetos decorativos.

Então, a não ser que você esteja preparado para viver por anos com uma pia de cozinha laranja fluorescente — ou disponha de recursos para trocá-la assim que der vontade — opte por opções mais clássicas e atemporais.

Importância da execução

Por fim, para conseguir que o acabamento da obra seja de extrema qualidade, não abra mão dos bons profissionais. Eles certamente vão auxiliar você a definir os melhores acabamentos e a garantir um bom uso dos materiais.

Esperamos que você tenha gostado das nossas dicas para conseguir um excelente acabamento da obra! Se está procurando mais informações para adquirir seu imóvel com acabamento de primeira, entre em contato com a gente. Estamos à disposição para esclarecer todas as suas dúvidas!

5 motivos para colocar as finanças em ordem e sair do aluguel

Um dos maiores objetivos de vida da maioria dos brasileiros é sair do aluguel e, consequentemente, ter a oportunidade de adquirir a casa própria. Afinal, conquistar esse sonho significa que você está investindo em um bem que será para toda a vida e também é o começo da construção de um patrimônio.

Mas, para atingir esse estágio de investimento, é preciso organizar as finanças e planejar os gastos mensais. Também é importante saber gerir todos os seus rendimentos focando determinados objetivos. Além do mais, hoje existem diversas alternativas que o ajudarão a comprar o seu imóvel, tais como consórcios e financiamentos, por exemplo.

Neste post, você vai descobrir bons motivos para organizar as suas contas e começar a partir de agora a planejar a compra do seu tão esperado imóvel. Confira!

1. Começar a construção do seu patrimônio

Normalmente, a aquisição de um carro ou um imóvel é o primeiro passo para a construção de um patrimônio pessoal. Quanto mais cedo você tiver essa consciência, mais facilmente conseguirá conquistar bens duráveis que poderão ser desfrutados ao longo de toda a sua vida.

Então, ao escolher o imóvel para a compra, lembre-se de que ele será usado por muitos anos e precisará atender as suas necessidades, como tamanho, funcionalidade, localização, entre outros detalhes que fazem diferença.

2. Sair do aluguel significa liberdade

Quem vive de aluguel sofre para fazer até mesmo pequenas adaptações no imóvel. É necessário ter cuidado com pinturas ou qualquer outro tipo de alteração, desde a simples colocação de um prego para pendurar um quadro até uma mudança que exige reforma.

Ou seja, em situações como o aumento da família e a necessidade de construção de um novo quarto, por exemplo, você estará limitado em um imóvel alugado — que, ao final do contrato, deverá ser entregue exatamente como estava na vistoria realizada antes de você se mudar.

3. Pagar aluguel é investimento sem retorno

Todo mundo que paga aluguel sabe que esse investimento nunca oferecerá qualquer tipo de retorno, o que já é uma razão mais do que suficiente para você começar a se planejar para morar na própria residência.

Lembre-se, também, de que ao tomar a decisão de sair do aluguel é preciso levar em consideração alguns detalhes para a escolha do imóvel certo para a compra, como uma casa ou apartamento que seja compatível com a sua renda e que esteja em boa localização, por exemplo.

4. Dar segurança e estabilidade para a sua família

Não há como negar que ter a própria casa significa maior estabilidade e a segurança de um futuro mais tranquilo para a sua família. Por mais que um financiamento seja pago ao longo de muitos meses, em um prazo determinado você conseguirá quitá-lo.

E também existe a possibilidade de você planejar o orçamento mensal para antecipar o pagamento das parcelas da casa. Assim, em um tempo muito menor terá o bem totalmente pago.

5. Apostar no melhor tipo de crédito para você

Hoje, os bancos oferecem alternativas, como consórcios, empréstimos e financiamentos voltados para a compra de imóveis, ou seja, você tem diferentes possibilidades para sair do aluguel.

Somente é preciso escolher qual é o melhor para o seu nível de renda e organizar as finanças para conseguir ter um valor para oferecer como entrada, no caso de financiamento, ou lance, se optar pelo consórcio.  

E você, também já faz planos para sair do aluguel? Não se esqueça de conferir o post que já fizemos para ajudar a escolher o seu apartamento!

Veja 6 vantagens de morar em condomínio fechado e prepare as malas

Na hora de decidir sair do aluguel e adquirir um imóvel, é comum aparecerem dúvidas com relação ao tipo de residência (casa ou apartamento) e também a outros fatores muito importantes, como segurança, localização, espaço e qualidade da construção.

São vários pontos que devem ser levados em consideração para garantir uma maior tranquilidade e perfeito atendimento às necessidades de sua família.

Portanto, se você está precisando de ajuda para a escolher seu novo lar, nós vamos apresentar 6 vantagens de morar em condomínio que você não pode deixar de conhecer.

1. Maior segurança

Não tem como negar que a segurança é uma das principais preocupações hoje em dia. E essa é a maior vantagem que você encontrará ao optar por um condomínio fechado.

Esses lugares geralmente contam com um sistema excelente para manter você e sua família seguros: controle de entrada e saída, monitoramento, muros altos, portaria 24 horas, ronda noturna e cercas elétricas são alguns dos procedimentos que condomínios costumam adotar.

2. Mais privacidade

Esse é outro grande benefício oferecido por condomínios. Visto que há limitação do número de moradores e rigoroso controle de entrada e saída, sua exposição será menor e você não será importunado por visitas indesejadas ou por estranhos, o que comumente ocorre em residências fora desses lugares.

Aliás, essa privacidade aumenta ainda mais a segurança do local.

3. Espaço para as crianças e opções de lazer

Seus filhos também desfrutarão das vantagens de morar em condomínio. Isso porque os melhores possuem quadra de esportes, parque, piscina, playground e outros espaços próprios para crianças e adolescentes.

Além disso, você pode contar com salão de festas ou churrasqueira, academia, área de passeio com animais de estimação e outras opções. Tudo isso para ter uma melhor qualidade de vida aproveitando o tempo com sua família e recebendo amigos e familiares.

4. Ampliação da rede de relacionamentos

Esse é mais um aspecto bastante positivo. Com o convívio e interação diários entre os moradores, cria-se um senso de comunidade. E com o estreitamento desses laços podem nascer grandes amizades.

Se você tem filhos, esse ponto é ainda mais importante. Assim, as crianças podem se divertir com as outras a poucos metros da residência, sem expô-las a riscos externos.

5. Padrão diferenciado

As construtoras seguem normas e exigências ao construírem e executarem seus projetos: metragem mínima e máxima, paisagismo, simetria das vias e dos terrenos, boa estética, limitação de altura para garantir ventilação e iluminação. Esses e outros tantos fatores são planejados com excelência para garantir a boa qualidade de vida, conforto e mobilidade a todos os moradores.

6. Maior custo-benefício

Todas as comodidades que citamos têm seus custos divididos entre os condôminos, visto que serão usufruídos por todos. Assim, o custo da segurança, da limpeza de áreas comuns, da jardinagem, do uso da academia, da manutenção de piscina e demais serviços acaba sendo muito menor do que caso você decidisse não morar em condomínio.

Percebeu como há muitas vantagens de morar em condomínio fechado? Essas são só algumas. Se você quer mais informações, entre agora em contato conosco. Nós estamos prontos para atendê-lo e ajudá-lo na melhor escolha do novo lar de sua família.

Quais as principais formas de pagamento na compra de um imóvel?

Adquirir um imóvel, para a maioria das pessoas, é o maior investimento da vida. Por isso, a operação precisar ser detalhadamente planejada para reduzir o risco de problemas futuros.

Mais até do que a própria escolha do imóvel, decidir como ele vai ser pago pode ser mais importante. É por essa razão que preparamos este post para lhe apresentar quais são as formas de pagamento na compra de um imóvel. Conheça as opções e decida qual é a mais adequada para você! 

Pagamento à vista

A forma mais difícil de fazer o pagamento do imóvel é também a mais indicada pela maioria dos especialistas em finanças. Isso porque o pagamento à vista é o mais barato de todos, já que não envolve o pagamento de juros.

É claro que pagar um imóvel em uma única vez é um privilégio para poucos. Se você não conta com um volume suficiente de recursos, terá que ter muita disciplina para conseguir economizar o suficiente. E isso pode levar algum tempo.

Em contrapartida, adquirindo um imóvel à vista você melhora muito a sua capacidade de negociação. Isso pode lhe garantir um bom desconto ou alguma melhoria na unidade.

Uma dica: se for comprar seu imóvel à vista, cuidado para não se descapitalizar e raspar suas economias. Não se esqueça de manter uma reserva para emergências. E antes da compra, é interessante verificar se não é mais vantajoso aplicar o dinheiro em algum outro investimento.

Financiamento bancário

O financiamento nada mais é do que um empréstimo por meio do qual você receberá de um banco o valor necessário para comprar o imóvel. O pagamento à instituição ocorre durante um período determinado de tempo, com juros.

Uma das opções de financiamento disponível no Brasil é o Sistema Financeiro da Habitação (SFH), desenvolvido pelo Governo Federal, que utiliza recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE).

Pelo SFH, é possível financiar imóveis de até R$ 750 mil, dependendo do Estado. O limite do financiamento é de 70% para imóveis usados e 90% para os novos. A taxa de juros é de, no máximo, 12%, e as parcelas não podem exceder 30% da renda do comprador. O limite do contrato é de 35 anos.

Outra opção é o Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). Ele é semelhante ao SFH, porém não tem limite de valor para imóvel, nem de comprometimento de renda com as parcelas. A taxa de juros, porém, é mais elevada, pois esta é uma operação mais arriscada para o banco.

Para famílias com renda entre R$1,6 mil R$5 mil há, ainda, a opção do Minha Casa Minha Vida. Com juros mais baixos, esta modalidade permite financiar imóveis de até R$ 235 mil, dependendo da cidade.

Consórcio

Quem não precisa tomar posse do imóvel de forma imediata pode optar pelo consórcio. Entre suas vantagens está o fato de que permite financiar até 100% do imóvel. E é uma operação sem cobrança de juros, embora seja preciso pagar por taxas de administração.

Para receber seu imóvel, porém, você terá que contar com a sorte nos sorteios mensais, ou juntar algum dinheiro para retirar o imóvel por meio de um lance. Do contrário, pode demorar um pouco para você receber as chaves da sua casa ou apartamento.

Financiamento direto com a construtora

As construtoras que oferecem financiamento próprio aos seus clientes, em geral, têm mais flexibilidade para negociar melhores condições. Uma das diferenças em relação ao financiamento bancário é que, com as construtoras, os prazos costumam ser menores.

Essa modalidade é mais comum no caso de empreendimentos novos, loteamentos ou unidades comerciais. Ao optar pelo financiamento com a construtora, fique atento à forma de correção e nos juros propostos.

Antes da entrega das chaves, o reajuste é feito pelo Índice Nacional da Construção Civil (INCC), que mede os custos do setor. Depois, é comum a utilização do IGPM ou do IPCA. Tenha atenção e realize simulações de como ficarão as parcelas futuramente, para evitar surpresas.

Essas são as principais formas de pagamento na compra de um imóvel disponíveis no mercado. Gostaria de saber as últimas novidades de compra e venda de imóveis? Então, assine nossa newsletter para mais conteúdos!